Notícias

 

18 de agosto de 2006

Prefeitura começa a construir
escola no bairro dos Empossados

OBRAS

Foram realizados na última semana no bairro dos Empossados trabalhos de sondagem de solo visando a construção da nova escola “Comendador Toshimaro Kacuta”. O prefeito Flávio de Lima (PSDB) e o secretário municipal de Educação, professor Márcio Roberto de Oliveira, estiveram no local acompanhado os trabalhos.

Segundo o prefeito Flávio, o próximo passo é a aprovação do projeto pela FDE para que a obra seja licitada. O convênio orçado em R$ 1.200.000,00 em convênio entre a prefeitura e o governo do Estado de São Paulo viabilizará a construção da unidade escolar.

O projeto elaborado pelo Departamento de Arquitetura e Engenharia da prefeitura prevê entre outras coisas a construção de uma quadra de esportes coberta anexa, sala para grêmio estudantil, sala de leitura, sala de informática, sala de reforço e etc.

Para o prefeito, a obra valorizará o bairro.“Para a nossa administração, a zona rural merece o mesmo valor da cidade. Estamos corrigindo um erro histórico de algumas administrações. Nossa meta é transformar a cidade e a zona rural para que todos os guapiarenses sintam orgulho de viver aqui”, destacou o prefeito.

Flávio de Lima antecipou ainda a O Expresso que nas próximas semanas começarão também as obras para a instalação de água tratada da Sabesp no bairro dos Empossados. “É mais uma conquista para a população desse bairro”, conclui Flávio.


CPI da APAE encerra investigação
e conclui relatório

CONCLUSÃO

Foi aprovado por 7 votos a 1, o relatório elaborado pela CPI sobre possíveis irregularidades na prestação de contas da APAE de Guapiara, somente o vereador João Carlos Menk votou contrário.

A CPI teve 56 dias de trabalho e no decorrer desses dias foram feitas várias tentativas para que a APAE de Guapiara, através de seu presidente Nivaldo Paulo de França, apresentasse à comissão os pedidos de informações de documentos, que não foram atendidos.

A cada resposta de ofício enviado pela comissão era nítida a intenção de atrapalhar as investigações e tentar protelar o prazo, para que os trabalhos da CPI não pudessem ser concluídos.

Para que ficasse mais caracterizado a nítida impressão de que não queriam que a CPI descobrissem as possíveis irregularidades, foi aberto até Boletim de Ocorrência na Delegacia de Polícia, através do sr. Nivaldo contra a CPI e o presidente da mesma, vereador Adalberto Tadeu Baptista e se não bastasse isso, foi solicitado uma medida cautelar juntamente com o pedido de cancelamento dos trabalhos da CPI no Fórum de Capão Bonito, que o Judiciário não exitou em indeferir, julgando que a CPI tem somente a finalidade de investigar os fatos e não de acusação.

Nos trabalhos de investigação, foram convocados para prestar depoimentos 9 pessoas, sendo que o diretor financeiro da APAE, João Batista da Silva, e também seu presidente sr. Nivaldo Paulo de França não compareceram, sendo que esse último chegou a pedir através de ofício e também verbalmente para que fosse convocado para prestar depoimentos.

Os outros depoentes foram: a Nutricionista da prefeitura, Ingrid Fernandes Feuldhaus; a encarregada da “Vaca Mecânica” da prefeitura, Maria de Ziza de Assis; o fisioterapeuta da prefeitura e da APAE, Elvis Maurício Espírito Santo; o motorista da prefeitura, Valdir Teixeira de Paiva; o ex-diretor pedagógico da APAE, Paulo Raimundo de Freitas, e as serventes da APAE, Maria Aparecida Camargo Rocha e Claudinéia Rodrigues de Souza.

Com o depoimento dessas pessoas, a Comissão concluiu que não havia necessidade de convocar mais ninguém, pois ficaram satisfeitos com os resultados.

Alguns depoimentos foram decisivos, como o ex-diretor da APAE, sr. Paulo, que quando perguntado, sobre as notas e os produtos alimentícios e de limpeza, adquiridos em empresas de Itapeva, Codof e Coresp, que desconhecia citadas notas e muito menos ter visto os mantimentos constantes nas notas na entidade, reforçando esse depoimento a servente que trabalha na APAE, Maria Aparecida, disse: “existe pouca coisa, o estoque nunca teve grande quantidade de material de limpeza ou alimentos estocados na APAE, tudo que está no estoque da APAE é fornecido pela prefeitura, e quando tem doações é algo raro”.

A outra servente da APAE, Claudinéia, também foi categórica ao afirmar que - “nunca teve grande estoque ou caixas de produtos alimentícios e de limpezas guardados na despensa da entidade, onde todos os produtos são guardados”.

Então fica aqui a dúvida, onde foram parar os produtos adquiridos em dezembro de 2005, sendo eles: 450 pacotes de arroz de 5 Kg, 450 kg de açúcar, 300 pacotes de açúcar cristal de 5 kg, 1mil kg de achocolatado, 1.500 sabonetes, 450 frascos de água sanitária, 900 frascos de desinfetante, 900 frascos de lustra móveis, 1.500 pacotes de papéis higiênicos, entre outros produtos constantes nas mesmas notas.

Sendo que com o depoimento da nutricionista Ingrid, dizendo que a merenda que a cozinha piloto fornece à APAE supre todas as vitaminas e necessidades que os alunos necessitam, não precisando de nenhum complemento e também disse que a entidade nunca solicitou refeição especial para os alunos, que também as crianças apesar de serem excepcionais, gozam de plena saúde.

A servente Maria Aparecida disse que as únicas coisas que faz, quando tem aluno que não come a merenda, é achocolatado, sopa de bolacha e miojo, cujos produtos são fornecidos pela prefeitura e que quando falta algum produto é solicitado a mesma e prontamente atendida.

Referindo-se ainda aos produtos das notas, um dos produtos que causou muito espanto foi o lustra-móveis, foram adquiridos 450 fracos de 200 ml e 450 frascos de 500 ml, totalizando 900 frascos, sobre isso em seus depoimentos, as serventes disseram que consomem 2 frascos por semana, fazendo um simples cálculo aritmético, conclui-se que consumindo 2 frascos semanais, em um ano são 52 semanas, o consumo seria de 104 frascos anuais, no entanto adquiriu a quantidade que poderia ser suficiente para suprir 9 anos.

Outro produto que revela também possíveis irregularidades foi a aquisição de 450 caixas de sabão em pó de 1kg e 450 caixas de 500 gramas, sendo que as serventes disseram que consomem 2 caixas semanais também, referindo a esse produto em especial, em seu depoimento a encarregada da cozinha piloto Maria Ziza disse: “com uma quantidade dessa em sabão em pó seria suficiente para atender todas as escolas da zona urbana e rural do município pelo período de um ano.

Outro indício de irregularidade foi a aquisição de 450 pacotes de bolacha recheada, 300 latas de sustagem e 300 latas de mucilon, que segundo os depoimentos das serventes e do ex-diretor da APAE, esses produtos nunca foram fornecidos aos alunos.

Conforme depoimento do fisioterapeuta Elvis Maurício, na APAE de Guapiara não existe uma sala especial para fisioterapia e muito menos equipamentos, tendo que o mesmo dividir uma sala com a fonoaudióloga, ficando assim difíceis os tratamentos necessários, falou também que não havendo equipamentos que pediu tantas vezes para serem comprados, não existe evolução no tratamento dos alunos da APAE.

Seguindo esse mesmo raciocínio de evolução dos alunos, outra irregularidade encontrada foi a falta de materiais pedagógicos, biblioteca e materiais permanentes, obrigando os professores a fazer mágica e tentarem trabalhar com os alunos sem os materiais.

E com os materiais pedagógicos os alunos teriam uma evolução de 3 a 4 anos e sem esses materiais tal evolução é impossível, segundo as declarações do ex-diretor da APAE Paulo de Freitas, que também não soube explicar porque trabalhou por cinco meses na entidade sem que tivesse vínculo empregatício, muito menos como uma escola como APAE que é considerada uma escola normal como as outras, sendo que é contra o estatuto da mesma a ausência de diretor, desconhecendo também a visita de supervisão da Delegacia de Ensino na entidade.

Esses foram uns dos fatos encontrados nesses 56 dias de trabalhos da CPI, com isso os trabalhos da CPI foram encerrados e como era de direito da mesma, apenas foram investigados os fatos de possíveis irregularidades da APAE de Guapiara, não cabendo a mesma julgar ou condenar ninguém.

Isso é dever de outros órgãos, com isso os trabalhos da CPI juntamente com o relatório final estão sendo encaminhandos para o Mistério Público, Tribunal de Contas da União, Federação das APAEs, Secretaria Estadual da Educação e Controladoria Geral da União.

Então fica claro que todas essas possíveis irregularidades, não têm por onde, tentar desviar os focos dos fatos e tentarem ainda fazer com que a população acredite que os motivos que levaram a ser instaurado esta CPI, sejam por motivos políticos, e tentarem também fazer com que os pais dos alunos, colaboradores, sócios e até mesmo membros da diretoria da entidade contra nós vereadores, alegando que estaríamos querendo fechar a APAE prejudicando os alunos e que não tínhamos nada em mãos e estaríamos inventando tudo só para prejudicar essa ou aquela pessoa.

Queremos aqui deixar nossos agradecimentos à imprensa escrita, através do Jornal O Expresso, e também da imprensa falada, através da TV TEM, pela cobertura que foi dada a essa CPI e que em maneira alguma acusou alguém, sempre sendo imparcial com a notícia.

Queremos agradecer também a presença das pessoas que foram convocadas para o depoimento, fazendo assim valer seu papel de cidadão. Agradecemos o total apoio recebido do presidente da Câmara, Joel Bernardes, e dos vereadores que nos apoiaram desde a votação do requerimento para criação da CPI até a aprovação do seu relatório final.


CPI em Guapiara

OPINIÃO

Vemos que têm sido veiculadas pela imprensa local, inclusive noticiários televisivos, possíveis irregularidades na administração da APAE de Guapiara, o que motivou a criação de uma CPI no Legislativo local. Entretanto, as notícias contam apenas parte do que vem ocorrendo. Cumpre-nos, então, complementá-las.

Até o limite do que é conhecido, trabalhou aquela comissão com bastante eficiência, frise-se, na divulgação à imprensa de cada pequeno passo de seus trabalhos, divulgando nomes e tentando macular a imagem e a honra de quem jamais fora envolvido em qualquer situação de má administração, sem no entanto demonstrar em momento algum qual seria seu real objetivo.

Da documentação produzida quase nada é conhecido até esta data; sabe-se porém que, no decorrer da noticiada “investigação”, foram cometidos reiterados atos de abuso de autoridades, tanto no trato com testemunhas como na permissão de acesso aos documentos produzidos, vez que não elaborados sob sigilo.

Quanto à ausência do presidente da APAE para depor, deixou a imprensa de noticiar que não houve simples negativa mas, sim, requerimento de acesso aos documentos que justificam a criação da CPI para que, ciente de seu conteúdo, estivesse apto a colaborar com os trabalhos do Legislativo de forma eficiente e em data posterior, pois se havia suspeita de má administração, não há como negar que então se suspeita de algo contra os próprios administradores da entidade.

Não foi notificado que, apesar de ter sido elaborado requerimento firmado por advogado, em total desrespeitos às mais conhecidas regras de acesso a documentos públicos e ao exercício da advocacia, a CPI sequer dignou-se a responder tal solicitação, embora já tenha utilizado tal fato para lançar na imprensa a idéia de que estava tendo seus trabalhos “dificultados” por tais ações.

Por tal motivo, inclusive, foi utilizada medida cautelar (processo 822/06-1ª Vara Cível de Capão Bonito – SP) para exibição de tais documentos, na qual inclusive buscou-se concessão de liminar para suspensão dos trabalhos da Comissão enquanto não apresentada a documentação, sendo que apenas no tocante à liminar houve indeferimento.

Em momento algum houve intuito de não permitir que avançassem os trabalhos daquela CPI, mas sim que prosseguissem, principalmente, sem lesar direitos e prerrogativas e, também, não lançassem à imprensa, de forma indevida, o nome nenhuma irregularidade cometeu.

Como dito no despacho do MM. Juiz de Direto da 1ª Vara Cível de Capão Bonito, às fls. 69 da medida cautelar, “ a CPI não tem por finalidade que foi “encurralada” e intimada em público e já puniu inclusive o próprio presidente da APAE, tanto ao registrar o Boletim de Ocorrência por desobediência (?) ao tempo em que fora tão somente solicitado adiantamento do depoimento até que fosse conhecido o conteúdo dos trabalhos da comissão, como por lançar as noticias que criou, indiscriminada-mente, na imprensa local.

Todas as vezes que ações dessa natureza são adotadas vemos um suposto interesse público sendo utilizado como clara demonstração de como não se deve fazer política.

Quando alguns tentam chamar para si a atenção, causando clamor público e, ao mesmo tempo, ignoram seus verdadeiros deveres e os direitos dos cidadãos, vemos saindo derrotada toda a sociedade, que concede procuração aos seus representantes para que ajam nos estritos da lei e não ao seu livre arbítrio.

Finalmente, necessário destacar que a APAE de Guapiara é fiscalizada por vários órgãos, como a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, pelo seu Conselho Fiscal, pela Federação das APAEs e pelo próprio município, sendo que por todos sempre teve aprovadas suas contas e forma de administração, como conta na documentação da entidade.

Antes de vermos pessoas sendo “condenadas antes apara serem julgadas depois”, importante que tenhamos senso crítico para não nos tornarmos reféns do noticiário, pois este muitas vezes reproduz apenas o que é solicitado e atendendo a determinados interesses, deixando de esmiuçar todos os fatos existentes e demonstrado a verdade e como ela é.

Se assim não o fazemos, perdemos a oportunidade de nos livramos de amarras e alcançarmos nossa completa liberdade, sem esquecermos de que esta é a maior garantia que nos é atribuída e sobre a qual não podemos transigir.

Ronaldo Freire Marim
Advogado – AOB/SP 133.245


Produtores rurais de Guapiara visitam a AGRIFAM

FEIRA AGRÍCOLA

Alunos do Curso Técnico de Agricultura Familiar e professor
que estiveram na AGRIFAM

 

A prefeitura de Guapiara tem estimulado a agricultura familiar. A administração municipal colocou no começo do mês à disposição da Secretaria de Agricultura dois ônibus da frota municipal para levar os produtores até a cidade de Agudos para visitar a IV AGRIFAM (Feira da Agricultura Familiar).

A caravana contou com a participação de 80 produtores rurais, com destaque especial aos alunos do Curso Técnico em Agricultura Familiar realizado na cidade através do convênio entre a prefeitura e o Centro Paula Souza.

Acompanhados por uma equipe técnica da secretaria, os agricultores interagiram com os expositores da feira na busca de conhecimento e informações tecnológicas.

Segundo o secretário de Agricultura, José Roberto do Prado, os produtores e alunos tiveram a oportunidade de visualizar as atividades da cadeia produtiva com informações atualizadas do que acontece nas propriedades - antes, dentro e depois da porteira.


Secretaria de Educação abre inscrições
para concurso de estímulo à leitura

LEITURA

Procurando ampliar o hábito de leitura nos guapiarenses, o concurso premiará os leitores que mais se destacarem e que
farão literalmente uma viagem através da leitura

No Brasil, apesar de muitos programas governamentais de estímulo à formação de leitores, pesquisas indicam que o índice de leitura no país não chega a dois livros per capita/ano.

É comprovado também que 61% dos brasileiros adultos alfabetizados não têm contato com livros e destes,17 milhões de pessoas afirmam que não gostam de ler. Dados alarmantes como estes, faz com que o estímulo à leitura seja prioridade do governo federal e estadual. Com os mesmos objetivos, a Secretaria Municipal de Educação elaborou o concurso de leitura “Quem lê viaja”.

Nele, as pessoas inscritas deverão ler livros de acordo com sua faixa etária. Após o término das inscrições, haverá uma prova seletiva que escolherá os 45 leitores com melhor conhecimento de autores e obras além de interpretação de textos. Serão 135 leitores contemplados ao todo.

O concurso oferece como premiação uma viagem cultural. “Além de motivar a leitura é nosso interesse também que nosso povo tenha contato com outros locais e novas formas de expressões culturais”, diz a coordenadora Leda Mota, uma das idealizadoras do concurso.

As viagens serão de acordo com a categoria do concurso, sendo: infantil, infanto-juvenil e adulto e são respectivamente: Museu do Sítio do Pica-pau Amarelo, em Taubaté; SESC/SP e Cinema e por último, visita ao Museu do Imigrante e Masp e ocorrerão após aplicação e divulgação dos resultados na prova seletiva, que será no início do mês de outubro.

Os responsáveis pelo concurso vêem com otimismo os resultados já obtidos. Foram feitas até o dia 16 de agosto, aproximadamente 1.180 inscrições.
As bibliotecas escolares estão sendo cada vez mais visitadas pelos alunos, o que mostra o interesse em participar.

A Biblioteca Municipal “Profª. Izabel Baptista Barrios” também tem recebido muitos visitantes em busca de livros. Segundo a bibliotecária Leni Fernandes de Chaves, o número de leitores teve um aumento muito significativo. “Antes do início do concurso a média de leitores era de 20 a 25 por dia, atualmente o número de pessoas atendidas gira em média de 100 a 150 pessoas, que retiram e voltam para pegar novos livros.

O que mostra que realmente estão lendo”. A supervisora de Ensino da Rede Municipal, Roseli Lima Silvério, destaca a importância do concurso e de outras iniciativas à leitura como uma necessidade básica para a preparação de alunos e demais pessoas para o mercado de trabalho.

“Muitos alunos não têm o hábito de ler pela falta de estímulo e até por conta da situação socioeconômica, isto vai refletir posteriormente na escola, em vestibulares, concursos. Onde já é comprovado que os não leitores têm pouca ou nenhuma chance de classificação”.´

A expectativa da Secretaria Municipal de Educação é de que pelo menos 2.000 pessoas participem da prova. Além da prefeitura , a Koyagro, Depósito de Gás Garcia e Roberto Materiais de Construção são apoiadores do concurso. A inserção de casas comerciais em projetos ligados à educação e à cultura tem por objetivo ressaltar a importância da participação de todos os segmentos sociais na educação.


11 de agosto de 2006

Patrulha Agrícola apóia pequeno produtor

INVESTIMENTO NO CAMPO

Patrulha Agrícola foi recuperada
 

A normatização da Patrulha Agrícola e do Regimento Interno do Ceasa de Guapiara (Mercado do Produtor) teve seu ponto marcante com a assinatura do prefeito Flávio de Lima (PSDB) decretando a regulamentação no mês de julho.

Segundo o secretário municipal da Agricultura, José Roberto do Prado, os trabalhos de preparo de solo estão a pleno vapor e com a finalização da reforma dos tratores da patrulha, com investimentos dos cofres públicos de um total de aproximadamente R$ 30.000,00, a meta é triplicar a velocidade da realização dos trabalhos contratados e cumprir o cronograma inicial.

A previsão é de que até o final de agosto seja concluída a primeira rodada dos trabalhos. “Com isso nossos agricultores poderão plantar suas lavouras e conseguir melhores oportunidades de mercado”, destaca José Roberto.

“Ainda nessa linha de investimentos iremos nesse ano colocar à disposição da patrulha mais um trator de 80 CV no valor de R$ 70.000,00 proveniente de emenda de um deputado federal do PT”, acrescenta o secretário.

A Patrulha Agrícola de Guapiara possui um trator de120 CV, um de 80 CV, um de 75 CV, um de 65 CV e um F-4000 para pequenos fretes mais duas motos 0 Km para assistência técnica.

A cidade possui também uma equipe técnica formada por um engenheiro agrônomo, um veterinário e dois técnicos agrícolas para assistência técnica ao pequeno produtor rural, que está à disposição desde o preparo do solo até a comercialização e com a normatização do Ceasa municipal a mesma está assegurada.

Patrulha socialmente correta

Segundo o agricultor familiar João Zacarias de Oliveira, mais conhecido no bairro da Capuavada da Limeira como “João Lopez”, desde quando a Patrulha Agrícola foi implantada em Guapiara nunca teve oportunidade de receber os trabalhos da mesma.

“A patrulha fazia vários trabalhos aos grandes e médios agricultores do município, mas os pequenos não tinham acesso. Só ouvia falar”, relata João Lopez.

“Com a normatização, recebi pela primeira vez os trabalhos e fiquei muito feliz. Investimentos para os pequenos agricultores agora são prioridade”, alegou Lopes, que usou apenas 2 horas e 40 minutos do total de 6 horas que tem direito e teve 12 tarefas de terra preparada.

O agricultor também irá receber as sementes de vagem e mudas de pimenta cambuci. A produção será acompanhada de perto por um técnico da Secretaria de Agricultura, além de ter todo o respaldo para comercialização no Ceasa municipal.

“A nossa indústria chama-se agricultor. Nossa prioridade é o pequeno agricultor familiar e nossa meta, igualdade e direitos sociais”, conclui o secretário José Roberto do Prado.


Prefeitura reforma escolas

EDUCAÇÃO
 

A administração municipal está empenhada com sua equipe na reforma das escolas com estruturas antigas. Desta vez é o bairro Santana que está sendo beneficiado.

Conforme depoimento de Jorge Ramos Venâncio, 44 a-nos, que saiu do bairro Santana com 14 anos e hoje mora no bairro Monjolada, a escola nunca passou por uma reforma tão ampla.

Segundo ainda Venâncio, que trabalha como servente de pedreiro na reforma da escola, os moradores também nunca receberam um investimento de R$ 45 mil em um único estabelecimento de ensino. Em breve, o bairro do Alegre também vai ganhar uma nova escola estimada em R$ 200 mil.

“Todas as escolas em 2005 passaram por reformas com banheiros novos e iluminação, destacou a assessoria da prefeitura. O secretário de Educação, prof. Márcio Roberto de Oliveira, agradece toda a equipe de funcionários da prefeitura que estão empenhados para fazer as melhorias necessárias para que os alunos tenham uma educação de qualidade e com mais estrutura.


Denúncia de vereador de Guapiara é arquivada

ARQUIVADO
 

A Promotoria de Justiça da 1ª Vara da Comarca de Capão Bonito decidiu arquivar o Inquérito Civil 09/2006 instaurado para apurar suposta irregularidade na concorrência, sob o nº 01/2005 da prefeitura de Guapiara, com o fim de contratar instituição financeira destinada a centralizar as atividades bancárias das folhas de pagamento dos servidores municipais.

O inquérito foi instaurado com base na denúncia do vereador João Carlos Menk, do PP, que entre outras coisas contestava o fato de a prefeitura poder realizar tal negociação com instituição financeira que não fosse oficial e até mesmo a assinatura de alguns dos procedimentos do processo licitatório que não teria sido feito pelo chefe do Executivo e sim por alguns assessores.

O promotor Márcio Takeshi Nakada, em sua decisão, disse que não houve irregularidade no processo licitatório, afastando a alegação de que a prefeitura poderia contratar apenas instituição financeira oficial. Destacou ainda que a Fazenda Municipal foi beneficiada com a receita de R$ 327.000,00 do contrato efetivado com o Banespa.

Além de mencionar que a concorrência foi pública, podendo ter participado dela qualquer instituição bancária que se interessasse. Por não haver razões para oferecimento de denúncia, foi determinado pelo Ministério Público da Comarca, o arquivamento do procedimento e o caso deverá agora ser remetido ao Conselho Superior do Ministério Público para análise deste órgão.

O prefeito Flávio de Lima, do PSDB, se diz satisfeito com a decisão da Promotoria, pois ratificou a atuação da atual administração no seu entender. “Tínhamos certeza que o arquivamento aconteceria. Na nossa administração é diferente, tudo é feito com boa fé.

Além de todos os procedimentos serem rigorosamente elaborados de acordo com a lei, pois nossa equipe trabalha para isso, nunca o município lucrou tanto com as licitações como na nossa gestão. As comparações a serem feitas são tantas que vamos esperar o momento oportuno para mostrarmos a diferença. Conosco não há esquema, valorizamos e honramos cada centavo do dinheiro público”, declarou Lima.

Questionado se devido ao acirramento político comum na cidade pensaria na possibilidade de entrar com ação contra o vereador João Carlos Menk pela denúncia considerada infundada por seus aliados, o prefeito disse que passou tal atribuição à assessoria jurídica. “A minha preocupação é trabalhar para a população, a nossa assessoria jurídica saberá cuidar bem disso”, concluiu o prefeito.

Assessores afirmam que será feita denúncia - O secretário de Governo da prefeitura de Guapiara, João Torquato Junior, e o secretário de Educação, Márcio Roberto de Oliveira, estiveram na redação d’O Expresso e afirmaram que não será tomada nenhuma medida contra o vereador que estaria exercendo seu legítimo direito de fiscalizar, mas em contrapartida os auxiliares do prefeito disseram que vão denunciar as compras feitas para merenda escolar no ano de 2004 que totalizaram mais de R$ 838.624,44.

“É importante que seja investigado estas compras, pois em 2005 gastamos mais de 300 mil reais a menos do que 2004 e melhoramos a merenda escolar”, disse o secretário de Educação. Os auxiliares do prefeito Flávio de Lima disseram ainda que cerca de 470 mil reais gastos com a merenda no ano de 2004 foram comprados de empresas de familiares do vereador e este caso deve ser muito bem analisado pela Justiça, pois há fortes indícios de superfaturamento.

Vereador diz que compras foram feitas de acordo com a lei - O vereador João Carlos Menck, do PP, afirmou que as compras feitas pela gestão passada em empresas de seus familiares foram alvo de licitação e estão dentro do que determina a lei e não existe nenhum impedimento neste tipo de fornecimento desde que seja feito legalmente e aberto a outras empresas.

“Ocorreu o mesmo procedimento que deve estar sendo usado pela atual gestão para comprar, por exemplo, gás da Distribuidora Garcia, de propriedade do sr. Zé do Gás, inclusive foi inutilizado o sistema a lenha da padaria municipal para ser transformado a gás”, declarou João Carlos. O vereador acha que a atitude dos auxiliares do prefeito é uma retaliação, mas disse continuará a exercer seus trabalhos na fiscalização do Executivo.


04 de agosto de 2006

Bairro será nova rota entre Guapiara e Intervales

RIBEIRÃO GRANDE GUAPIARA

Acordo firmado entre a prefeitura de Guapiara e Fundação Florestal tornará

 o bairro um dos principais ponto turísticos

O prefeito de Guapiara, Flávio de Lima, firmou acordo de cooperação com a Fundação para Conservação e Produção Florestal para recuperar as estradas que dão acesso ao Parque Estadual Intervales.

Desde março várias ações estão sendo desenvolvidas no sentido de melhorar o acesso ao Parque que fica em Ribeirão Grande pelo bairro Capela do Alto.
A equipe de coordenadores juntamente com os alunos que fazem parte do programa “Ação Jovem” desenvolveram pesquisas de campo na estrada que dá acesso de Guapiara ao bairro.

O objetivo foi fazer um levantamento dos pontos mais críticos a serem recuperados e também conhecer os proprietários dos terrenos que ficam às margens da estrada a fim de informar sobre o projeto para uma possível parceria na manutenção do acesso após a recuperação.

A coordenadora Maria Aparecida Motta e o monitor Márcio Rodrigues de Lima, que acompanham o trabalho dos jovens, já estiveram em contato com os responsáveis pela coordenação de Ribeirão Grande em várias reuniões onde trataram de vários temas ligados ao assunto.

Após a conclusão da pesquisa realizada, a coordenadora realizou gráficos dos resultados obtidos e que serão apresentados na próxima reunião com os demais participantes do acordo.

Concluído os trabalhos, a principal estrada de acesso ao Parque será pelo bairro Capela do Alto. Isto fará com que o bairro, que já é bastante visitado por romeiros em virtude das festividades da procissão de Nossa Senhora da Ajuda, passe a ser mais valorizado e se torne efetivamente, um dos principais pontos turísticos da cidade.

No dia 20 de julho, o prefeito Flávio de Lima liberou verba no valor de R$10.000,00 que será utilizada na aquisição de materiais para melhoria da estrada e que faz parte da contra-partida do município no acordo de cooperação.

Para ele, esta parceria será um passo importante na participação de Guapiara na preservação do meio ambiente e no processo de conscientização da comunidade no sentido de preservar os investimentos feitos ali.


Crianças de Cajamar visitam Guapiara

REDESCOBRINDO O INTERIOR

Entre os dias 17 a 21 de julho visitou Guapiara uma delegação com 40 estudantes e 4 monitores da cidade de Cajamar (município da Grande São Paulo). A delegação visitou vários pontos turísticos do município (Recanto Luz do Dia, Del Esporte e Lazer e fizeram passeio turístico pelos bairros Claudinos, Pocinho, Motas, Paes, Capuavada, Monjolada e Lameus, finalizando com uma visita ao bairro Capela do Alto, onde visitaram o Morro do Cruzeiro, a Gruta e a Igreja da Padroeira Nossa Senhora D’Ajuda.

Na visita, puderam vivenciar diferentes modos de vida e atividades culturais do município. Além desses atrativos, também como lazer assistiram apresentações de danças, teatro, festa julina e conheceram repartições públicas de nossa cidade. Durante a semana ficaram hospedados na EMEF “Dr. Noel de Freitas Gomes”, onde tiveram o apoio e acolhimento de todos os funcionários.

Os funcionários da Cozinha Piloto tiveram o respaldo do prefeito e do secretário da Educação para preparar e servir uma alimentação de boa qualidade aos visitantes. As crianças foram recebidas e acompanhadas pela equipe da Secretaria Municipal de Educação coordenados pela professora Sueli Gonçalves de Lima.

Agradecimento


Nós, alunos da EMEF Arnaldo Correa, de Cajamar, queremos transmitir os nossos agradecimentos a todos que nos atenderam. Desde a coordenação, monitores e pessoal de apoio, transporte, cozinha e outros.

Ao sairmos de Cajamar tínhamos toda a programação, porém, não a noção de como seria emocionante estar nesta caravana sendo assistido por pessoas estranhas e em lugar desconhecido.

O que queremos é transmitir a vocês a gratidão que vem do fundo do coração, aquela que dinheiro não paga. A satisfação de quem faz é muito grande e de quem recebe é enorme, receber o trato de quem não conhecemos é maravilhoso.

Nós, crianças, gostamos do futebol de campo e de areia, do churrasco, das piscinas, rios, passeios a cavalo e a lugares a nós desconhecidos, da comida boa, do teatro, etc.

Mas sem esquecer de nada, gostamos principalmente de vocês, a quem vamos deixar e, sem dúvida, sentiremos muitas saudades. E ao partirmos estamos levando um pouco de cada um de vocês e temos a certeza que ao mesmo tempo, deixando um pouco de cada um de nós. Do fundo do coração muito, muito, muito obrigado!

Alunos da Escola Arnaldo Correa


Presidente da Apae não comparece em CPI

CPI

Membros da CPI na última segunda-feira: “Houve a intenção nítida do presidente da entidade em não passar as informações necessárias ao trabalho da investigação”
 

Comissão Parlamentar de Inquérito dá início a investigação de possíveis irregularidades na compra de produtos para a entidade

O presidente da Apae de Guapiara, Nivaldo Paulo de França, não compareceu na última segunda-feira na Câmara para prestar esclarecimentos. Nivaldo Paulo seria ouvido pela Comissão Parlamentar de Inquérito instaurada pelo Legislativo para investigar possíveis irregularidades na compra de produtos para a entidade.

Segundo o relator da CPI, Hirosi Kakuta Júnior, com o não comparecimento do presidente, a Câmara registrou boletim de ocorrência por desobediência e deve ouvir outros funcionários da entidade e também funcionários da prefeitura que estão ligados com a Apae.

Depois de pronto, o relatório da CPI vai ser encaminhado ao Ministério Público, Tribunal de Contas e Federação das Apaes em Brasília.O presidente da CPI, vereador Adalberto Tadeu Baptista, lamentou a ausência do presidente da Apae.

“Seria uma grande oportunidade para ele esclarecer todas as dúvidas sobre o caso”, frisou Baptista. Conforme o vereador, o próprio presidente da Apae procurou os membros da CPI para que assim que os documentos fossem entregues, que ele fosse convocado para depoimento, ficando a Comissão sem entender o motivo de sua ausência.

“A ausência pode criar problemas jurídicos para ele”, afirmou Adalberto Baptista. Documentos – No último dia 24, os membros da CPI receberam documentos enviados pelo presidente da APAE.

Porém, segundo o vereador Adalberto Baptista, as respostas esperadas não foram apresentadas conforme as solicitações feitas. “Houve a intenção nítida do presidente da entidade em não passar as informações necessárias ao trabalho da investigação”, destacou o presidente da CPI.


Inscrições para curso terminam dia 11

TÉCNICO FLORESTAL
 

O Centro Paula Souza (CEETESP), através de convênio com a prefeitura de Guapiara, realizará vestibular para a seleção de candidatos às vagas disponibilizadas para o Curso de Habilitação Técnica Florestal.

Segundo a assessoria da prefeitura, as inscrições estarão abertas até o próximo dia 11, durante os dias úteis no horário das 8 às 11 horas e das 13 às 17 horas, na sede da Secretaria Municipal de Educação, localizada na rua Getúlio Gato, nº. 171 Centro, Guapiara, não havendo atendimento fora do horário estabelecido.

O candidato interessado deverá preencher a ficha de inscrição, que será fornecida ao mesmo no local da inscrição, expressando sua irrestrita concordância em aceitar as condições de inscrição, sob as penas da lei.
São condições de inscrição: - ser brasileiro nato ou naturalizado e conclusão do Ensino Médio.

No ato da inscrição, o candidato deverá apresentar os seguintes documentos:
* Título de Eleitor, com comprovante de voto ou justificativa, se for maior de idade.
* Certificado de reservista, se for o caso.
* CPF e RG.
* Comprovação da conclusão do Ensino Médio
* Comprovante de residência

A inscrição deverá ser feita pessoalmente, não sendo aceita a inscrição por procuração, via postal ou de forma condicional. O vestibular consistirá em uma única prova escrita em forma de testes alternativos que abordará matérias específicas do Ensino Médio, nas disciplinas de Matemática, Português e Conhecimentos Gerais.


28 de julho de 2006

Prefeitura amplia número de cursos

ENSINO TÉCNICO

Depois do curso técnico em Agricultura Familiar iniciado em maio na escola municipal do bairro dos Paes, a prefeitura de Guapiara irá ampliar os cursos técnicos em parceria com o Centro Paula Souza, até a consolidação de uma Escola Técnica.

Segundo planejamento da administração municipal, a Escola Técnica deverá ser implantada em 2007 no bairro dos Empossados, devendo funcionar no prédio da atual escola Comendador Toshimaro Kacuta (que ganhará obra nova a ser iniciada em agosto, através de convênio entre a prefeitura e o governo do Estado.

Em audiência realizada na prefeitura no dia 24, o termo de compromisso foi fechado entre o prefeito Flávio e a representante do Centro Paula Souza, Rita Aparecida Navarro. Para o dia 5 de agosto terão início os cursos de qualificação profissional básica em Jardinagem e Paisagismo e de Monitor Ambiental, específicos para integrantes dos programas Ação Jovem e Agente Jovem.

Em setembro começarão as aulas do curso Técnico Florestal, para alunos que já concluíram o Ensino Médio. As inscrições para o vestibulinho acontecerão no período de 9 a 11 de agosto na Secretaria Municipal de Educação, com prova prevista para o dia 13 de agosto de 2006.

O curso de Técnico Florestal terá duração de três semestres e assim como os dois cursos de qualificação será realizado na escola municipal “Profª. Bertha Raatz de Oliveira”. O prefeito Flávio de Lima destacou a O Expresso a importância dos cursos.

“Estamos trazendo cursos que tenham a ver com a vocação do município, assim poderemos formar mão-de-obra para também atuar aqui em Guapiara, além do mais, precisamos fazer uma revolução na urbanização e no paisagismo do município e preparar Guapiara para o turismo, os alunos formados nos cursos que começarão, poderão nos auxiliar nessa nossa meta ousada”, alegou o prefeito.


Prefeitura amplia número de cursos

 

ENSINO TÉCNICO

Depois do curso técnico em Agricultura Familiar iniciado em maio na escola municipal do bairro dos Paes, a prefeitura de Guapiara irá ampliar os cursos técnicos em parceria com o Centro Paula Souza, até a consolidação de uma Escola Técnica.

Segundo planejamento da administração municipal, a Escola Técnica deverá ser implantada em 2007 no bairro dos Empossados, devendo funcionar no prédio da atual escola Comendador Toshimaro Kacuta (que ganhará obra nova a ser iniciada em agosto, através de convênio entre a prefeitura e o governo do Estado.

Em audiência realizada na prefeitura no dia 24, o termo de compromisso foi fechado entre o prefeito Flávio e a representante do Centro Paula Souza, Rita Aparecida Navarro. Para o dia 5 de agosto terão início os cursos de qualificação profissional básica em Jardinagem e Paisagismo e de Monitor Ambiental, específicos para integrantes dos programas Ação Jovem e Agente Jovem.

Em setembro começarão as aulas do curso Técnico Florestal, para alunos que já concluíram o Ensino Médio. As inscrições para o vestibulinho acontecerão no período de 9 a 11 de agosto na Secretaria Municipal de Educação, com prova prevista para o dia 13 de agosto de 2006.

O curso de Técnico Florestal terá duração de três semestres e assim como os dois cursos de qualificação será realizado na escola municipal “Profª. Bertha Raatz de Oliveira”. O prefeito Flávio de Lima destacou a O Expresso a importância dos cursos.

“Estamos trazendo cursos que tenham a ver com a vocação do município, assim poderemos formar mão-de-obra para também atuar aqui em Guapiara, além do mais, precisamos fazer uma revolução na urbanização e no paisagismo do município e preparar Guapiara para o turismo, os alunos formados nos cursos que começarão, poderão nos auxiliar nessa nossa meta ousada”, alegou o prefeito.


Secretaria cria projeto de atividades curriculares CULTURA E DESPORTO

O projeto foi elaborado pela Coordenadoria de Projetos da SME

A partir deste mês, as iniciativas culturais e esportivas prometem mobilizar a população de Guapiara. O prefeito Flávio de Lima publicou o decreto que cria o projeto ACCD (Atividades Curriculares de Cultura e Desportos), que vai ampliar ainda mais as ações destinadas ao incentivo da cultura e esporte na cidade de Guapiara.

“Queremos a participação da sociedade, pais, filhos, enfim, toda a população, em todas as atividades culturais desenvolvidas em nossa cidade. Este é o maior objetivo em se instituir o Projeto ACCD”, afirma o prefeito, apostando numa nova fase de diversidade cultural e esportiva em Guapiara.

O projeto, elaborado pela coordenadoria de projetos da SME, é totalmente voltado a ações de incentivo à cultura e ao esporte, com o objetivo de fazer a diferença nestas atividades na cidade.

Nele fica instituído atividades como teatro, dança, música, capoeira, torneios de jogos de mesa e o esporte em suas várias modalidades. Faz parte deste projeto também atividades de resgate histórico-cultural do município, incluído com o título de “Brinquedos e Brincadeiras”, que também já acontece através da Brinquedoteca Móvel, que faz o maior sucesso entre crianças de creche até a 5ª série desde o ano passado.

Para a coordenadora Leda Mota, a cidade vai passar por um “choque cultural” a partir de agora. “Temos muitos projetos de incentivo à cultura, à leitura e ao esporte que vão mobilizar e muito a nossa cidade.

Não importa a faixa etária. Tudo o que preparamos foi amplamente discutido com a equipe, de forma que pudesse abranger todos os gostos e idades. Haverá muita diversidade.

Numa delas, você vai se encaixar. É só querer participar”, alegou Leda
Ela comenta ainda que espera contar com apoio cultural de muitos comerciantes e pessoas da cidade.

“O apoio cultural das pessoas de nossa cidade é muito importante, além de colaborar financeiramente com as atividades, fará com que as pessoas se interessem mais e participem do projeto, não como meros espectadores, mas como cooperadores.

Envolver a sociedade é fundamental”, conclui Leda, agradecendo o apoio recebido do empresário Isaías Queiroz, que contribuirá com o Projeto Guri.
Isaías Queiroz em parceria com a prefeitura estará cedendo as camisetas necessárias para o uniforme do projeto que terá sua inauguração em breve.

“Temos e somos competentes, não somos promotores de eventos musicais, mas agentes de cultura e se derem uma boa analisada irão ver que, desde o ano passado, Guapiara tem investido muito nestes aspectos, mais que nos anos anteriores”, diz o secretário Márcio Roberto de Oliveira.


Guapiara usa a dança como instrumento de inserção social

PROJETO

Projeto quer inserir socialmente
crianças e jovens carentes
através da dança

A prefeitura de Guapiara e a Secretaria de Educação, Esporte, Cultura e Turismo querem inserir socialmente crianças e jovens carentes da cidade através da prática da dança.

É o projeto “Vem Dançar Comigo”, monitorado por Márcio Rodrigues de Lima.
O projeto teve início no começo do ano de 2005, conta hoje com a participação de 60 alunos.

É composto em sua maioria por crianças de baixa renda, que fazem parte de programas governamentais como Ação Jovem, Agente Jovem, por membros da Guarda Mirim e também crianças em risco de vulnerabilidade social.

As aulas acontecem às sextas-feiras, das 14 às 17horas, no Ginásio de Esporte Laudelino Moreira. Os alunos inseridos no projeto de dança participam de apresentações nas escolas e eventos que a cidade promove demonstrando publicamente o que aprenderam.

“É um trabalho longo que exige dedicação e esforço de todos, mas que vale muito a pena. O objetivo é que os participantes se tornem cidadãos e se sintam orgulhosos do que estão fazendo”, afirma o monitor que além da dança, busca sempre outras habilidades nos seus alunos.

“Muitos deles trabalham comigo em ações voluntárias de decoração, limpeza, elaboração de qualquer evento cultural que nos for solicitado pelos coordenadores de Cultura de nossa cidade.

Isto tudo colabora para que eles estejam cada vez mais distantes de drogas e outros vícios que possam destruí-los como pessoas de bem”, completa o monitor.
Para os coordenadores de Cultura, os alunos fizeram uma excelente opção quando escolheram investir na dança, que é uma rica fonte de arte e cultura.
“Essas crianças estão tendo a oportunidade de serem diferentes da maioria, o que é bom para elas e para a comunidade.

Este trabalho pretende contribuir para a conquista plena da cidadania”, diz o secretário de Educação, Márcio Roberto de Oliveira. Os alunos do monitor Márcio, além da dança, muitos deles ajudam nas atividades de marcenaria que ele também desenvolve para o Fundo Social de Solidariedade de Guapiara.


Elektro contempla 518 famílias com
o programa “Luz para Todos”

ENERGIA ELÉTRICA
 

No mês de maio, 518 famílias da região de Tatuí foram beneficiadas pelo programa “Luz para Todos”, passando a contar com energia elétrica em suas residências. A maior parte das obras foi executada nos municípios de Apiaí, Coronel Macedo, Guapiara, Piedade e Tatuí, mas clientes de mais de 30 cidades foram atendidos.

Em toda área de concessão, que compreende 223 municípios de São Paulo e 5 de Mato Grosso do Sul, foram realizadas 973 novas ligações em maio, com um investimento total de R$ 4,2 milhões. Desde 2004, quando o programa começou, a empresa investiu R$ 52,4 milhões e fez mais de 13 mil ligações de clientes pelo programa Luz para Todos.

Inscrições - Quem mora na área rural e não possui energia elétrica ainda pode inscrever-se no programa. Basta ligar para a Elektro pelo telefone 0800 701 01 02. O atendimento é gratuito e 24 horas por dia. Outra opção é ir até a prefeitura e preencher um cadastro

O programa “Luz para Todos” será executado pela Elektro em etapas. Na atual, que será concluída em dezembro de 2006, serão feitas 15,2 mil ligações no Estado de São Paulo e 624 no Mato Grosso do Sul.

Coordenado pelo Ministério de Minas e Energia e com apoio técnico da Eletrobras, o Luz para Todos tem como objetivo levar energia elétrica sem ônus para 12 milhões de pessoas das áreas rurais do País até 2008.

Matérias: Jornal Expresso